Pegando fogo (inicio do trisal 4ª parte)

Naquele sábado Uni mostrou como faz as velas e eu fui
tomar banho.

Depois a Uni foi pro banho dela e finalmente fiquei só com a Zy na cama, o clima esquentou um pouco e ela se animou, pegava minhas bolas e apertava. Baixei um pouco o calção e ela foi intensificando o CBT, batia, puxava, até que ela pegou a espátula de madeira (essas de cozinha) e começou a bater nas minhas bolas.

sabado01

Uni saiu do banho nessa hora e ficou assistindo e adorando meu sofrimento, vendo a Zy me torturar. Ela batia, eu gemia e me contorcia de dor, mordia e apertava o lençol tentando abafar os gemidos agonizantes e enquanto a outra só atirava lenha na fogueira falando com a Zy:
_olha ele ainda tá duro
_é ele fica duro
_ele gosta, já que tá duro

Zy pegou meu saco, fechou a mão em volta, puxou e com a outra mão ficou batendo com a espátula. Agora, além da dor da batida ainda ardia com cada tapa da espátula na pele do saco esticada. Eu gemia mais, gritava mais,
mordia mais o lençol pra aguentar e abafar o som.
Meu
saco tava vermelho e quente, mas elas resolveram esquentar mais…

Acenderam a vela e esperaram derreter enquanto a Zy me batia mais, quando a vela estava pronta Uni falou a distância pra usar a vela e a Zy derramou a cera quente nas minhas bolas. A área já estava vermelha e sensível e agora parecia que eu estava levando uma surra liquida no saco, se é que isso era possível.

sabado02

Ardia como as batidas da espátula, só que mais intenso, mas sem a dor da pancada e, mesmo sem essa dor, a cera quente doía bastante. Zy amou os gemidos e a vela, brincou um tempo, tirou a cera endurecida e jogou de novo, Uni que não aguentava mais ficar só assistindo, começou a revezar com a Zy, Jogava nas áreas que a Zy ainda não tinha jogado. Eu só me tremia gemendo em cada fio de cera quente derramada.

Depois tiramos a cera e fui tomar mais um banho pra tirar o resto da vela. Foi quando Zy disse pra eu pôr o plug porque ia me comer na frente da Uni ainda, Com muita vergonha botei, enquanto a Uni falava pra me deixar mais
constrangido.
_Mas já!?
E a Zy respondeu:
_Eh, já tá acostumado rsrs e como sou boazinha vou deixar você escolher com qual pau eu vou te comer.

sabado03

E pra piorar tudo eu ainda tinha que ter a vergonha de escolher o pau que ia me comer! Eu tentei usar a razão e escolhi o mais grosso de 23,2 x 7,5cm (apelidado pela Uni de Ofensa) porque do jeito que ela tava sádica e animada
aquela noite, se eu fosse escolher o maior porém mais fino (34cm) ela faria ele sair pela minha boca!

A Zy foi tomar banho e disse para ajeitar a cinta pra ela e junto com a Uni aprontamos a cinta com a “Ofensa”. Nesse meio tempo, o plug ficava batendo na minha próstata e eu ficava perto de gozar. Zy saiu do banho vestiu a
cinta e disse pra eu passar o lubrificante nela, mais um momento de constrangimento: eu preparando o pau que ia me comer.

Fiquei de 4 na cama, ela retirou o plug e começou a botar a “Ofensa” dentro de mim, quando entrou a cabeça ela empurrou o restante me fazendo gemer forte. Então ela começou o movimento devagar enquanto eu gemia todo
envergonhado na frente da Uni, que observava tudo se deliciando mais.

sabado04

Não tinha como não gemer, aquele pau era muito grande e grosso e eu estava la, de quatro, desprotegido e humilhado, sendo fodido e gemendo feito
uma putinha.

Zy ia aumentando a velocidade e a força e eu gemia cada vez mais. Uni começou a beijar a Zy e ficaram la se beijando enquanto a Zy me comia de quatro com força segurando no meu quadril até que veio um orgasmo da
próstata e fiquei ali deitado, tendo espasmos, enquanto a Zy e a Uni já estavam em outra, se beijando e se pegando.

Uni deitou a Zy e a masturbava, beijava enquanto fui me recuperando, assistindo as duas. eu fui fazer parte e beijei a Zy, lambi seus seios enquanto Uni a beijava e masturbava. Zy estava em êxtase com nos 2 dando prazer a
ela e estávamos bem sincronizados, nós chupávamos, os seus seios, um de cada lado, depois um masturbava enquanto outro a beijava, lambia sua buceta toda molhada de excitação enquanto o outro a beijava e apertava seus seios. Ela gozou várias vezes, mas o fogo dela é grande ela queria mais e tava adorando que tivesse dois pra apagar esse fogo, ela gemia, tentava abafar os gemidos,
iriamos acordar a vizinhança toda, mas quem ligava? A Zy tava tendo orgasmos múltiplos enquanto a Uni ficava maravilhada com a quantidade de vezes que a Zy conseguia gozar e eu não precisa nem falar, adoro ouvir os gemidos dela e ver seus orgasmos.

Já estava tarde e fomos dormir bem cansados, dessa vez eu fui para a rede enquanto elas foram dormir abraçadas na nossa cama.

sabado05

Peguei logo no sono e sonhei que finalmente a Zy deixava eu entrar nela, depois de um bom tempo e só o fato de ter meu pau dentro dela a fazia gemer e gozar, sem eu fazer esforço nenhum.

Ela gemia muito e eu tava muito foda, com poucos movimentos ela gozava de novo e de novo, então eu fui acordando e percebi que ainda escutava
os gemidos, acordei e vi que na verdade era a Uni gozando enquanto a Zy chupava ela. Tentei voltar a dormir.

continua…

Sobre MM

Nick: MM e ZY Estado: CE Somos um casal de 30 e 22 anos Sou comerciante e professor de arte marcial e ela estudante de enfermagem Sou submisso e ela switcher vivemos o BDSM a 4 anos começamos com cinto de castidade e controle de orgasmos depois fomos avançando mais e mais. Praticas Favoritas: castidade masculina, provocação e negação, treinamento anal, fisting, cbt, velas, humilhação e umas tantas outras Limites: agulha, sangue, scat, e outras praticas extremas que possam causar dano permanente ou muito nojentas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s